Nosso site utiliza cookies para melhorar a navegação do usuário. Os cookies são pequenos arquivos de páginas que você visita e que ficam salvos no seu computador. Clicando em "Eu Aceito!", você concorda com esse armazenamento no seu dispositivo e nossa Política de Privacidade.
Receba novidades do blog Mundo do Aço!

Mundo do Aço

Ciclo de alta dos preços globais do aço deve durar até o fim de 2021 crédito: Divulgação

Os preços do aço chegarão a um pico nos meses finais de 2021, caindo ao longo de 2022 para uma período de baixa no final de 2023. Essas são as mais novas projeções da consultoria inglesa Metals Consulting International Limited (MCI), especializada em siderurgia.

A MCI destaca que uma característica dos preços mundiais do aço é que eles são altamente cíclicos, citando como exemplo a bobina laminada a quente (HRC) ou barra de reforço. Entre esses produtos, o tempo médio de "pico a pico" ou "pico a vale", nos últimos 25 anos, foi de aproximadamente três a quatro anos. 

“Em nossa opinião, o próximo pico de preços pode ser esperado por volta do final de 2021, e a próxima baixa ocorrerá na segunda metade de 2023”, afirmam os analistas.

A oferta restrita e uma aceleração simultânea da demanda em uma ampla gama de setores consumidores de aço explicam esse comportamento de preços. Nessa análise, é fundamental observar as perspectivas futuras para o equilíbrio global de oferta e demanda do produto.

A World Steel Association considera que o crescimento da demanda global de aço em 2021 será de 4,1% (de 1,725 bilhão de toneladas de produtos acabados em 2020, para 1,795 bilhão de toneladas em 2021). Isso é equivalente a um aumento no consumo de aço de 70 milhões de toneladas, segundo a entidade.

Enquanto isso, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico ou Económico (OCDE) considera que, durante o período de três anos 2020-2022, a capacidade bruta global de aço bruto aumentará em aproximadamente 2,5% a 3,3% - a partir de um nível final de 2019 de 2,36 bilhões de toneladas. Isso é igual a um aumento na capacidade de produção de aço de 23 milhões de toneladas por ano.

O aumento da demanda ultrapassará o crescimento da oferta 2021, levando a uma maior utilização da capacidade nos parques siderúrgicos mundiais.

As projeções de preço para as matérias-primas confirmam esse movimento, uma vez que os insumos são entrada de custo dominante na produção de ferro e aço.

Neste caso, vale mencionar os elevados preços do minério de ferro, movimento iniciado na segunda metade de 2020.

Neste mês, apesar dos apelos do governo chinês por cortes bruscos na produção de aço do país, os preços do minério de ferro saltaram para US $ 165 / t devido a um nível de demanda sem precedentes.

De acordo com a consultoria Westpac, a cotação da commoditie pode chegar a US$ 180 / t. Em relatório divulgado no fim de 2020, a Westpac considerou: “Com os preços do aço continuando a subir ainda mais em dezembro, e os estoques (tanto nos traders quanto nas siderúrgicas) subindo apenas modestamente, parece que as fortes vendas de aço continuarão a apoiar a alta dos preços do minério pelo menos até o primeiro semestre de 2021".

Comente aqui
O seu endereço de e-mail não será exibido no comentário
Campos obrigatórios estão indicados com ( * )
Ainda restam caracteres.
Seu comentário está aguardando aprovação.
Obrigado pelo seu comentário!

ferrominas@ferrominas.com.br

Rua Virgínia Brandão 157 - Santa Luzia
Centro, Ubá - MG, 36506-006